O fim, ou apenas o começo de uma bela jornada

Nosso penúltimo trabalho foi a encomenda de canecas exclusivas confeccionada por um catarinense que estão guardadas em nossos armários, como verdadeiros troféus, para recordar os bons tempos que vivemos juntos (veja foto no arquivo de fotos) quando a tecnologia ainda era buscada. Ironia do destino somando-se as vicissitudes da vida foi justamente ela que nos separou, pois atualmente quase todo mundo possui DVD e isso facilita o acesso aos filmes e seriados. Tempo em que partilhamos de sonhos e aspirações que estarão sempre em nossas lembranças e que farão parte das histórias que contaremos para nossas gerações futuras. Mas não acabou simplesmente, continuamos a nos encontrar ao menos ao final de cada ano, para um churrascotrekker, onde confabulamos e nos revemos que costumava ser realizado na residência de Yáscara de Albuquerque e agora em algum restaurante ou churrascaria da cidade. Agora, depois de quinze anos de existência oficial (dezesseis na verdade), decidimos registrar nesses dois DVDs e no CDROM tudo que pudemos guardar e lembrar sobre nossas aventuras, aqui registradas.
Aqui está, amigo leitor trekker ou não, um pequeno registro da história dos fãs de Star Trek no Brasil os integrantes da Federação dos Planetas Unidos, clube de ficção, ciência e tecnologia criada em 1991.

2 Responses to “O fim, ou apenas o começo de uma bela jornada”

  1. 1
    Maria Alice Says:

    Porque não inventam um churrastrek aqui em Recife agora hein? :)

  2. 2
    Luiz Borges Says:

    Apesar de não ter participado da criação da Federação dos Planetas Unidos,acabei conhecendo o Carlos Machado em 1994, quando ele fez um pequeno comercial na minha ex-loja de informática que ficava no Shopping Itupava, a Mundial Laser – (ainda tenho o clip do comercial). Desse dia em diante comecei a freqüentar a ponte de comando do Carlos, quer dizer, a sala de TV e VHS do Carlos, onde havia aquelas maravilhosas sessões de Star Trek com a presença sempre de, no mínimo 10 ou 15 trekers. Claro que me sentia um alienígena, ou estranho no ninho. Nunca perdi o contato com o Machado e até hoje trocamos emails. Conheci a Maria Alice e sua paixão por Voyager. Era ela sempre que trazia para as reuniões, as novidades de Voyager, em VHS. Conheci a Ângela Bunese que acabou participando comigo e o Carlos de um programa que eu tentei criar chamado Mundo Trek, na extinta TV Cidadão canal 2 – Net. Ainda tenho todas as gravações cheias de bloopers. Aliás…só tinha blooper mesmo. Convidei o Carlos para a direção e a Ângela era minha parceira de entrevistas. Tudo isso porque me identificquei com Star Trek e pela Federação dos Planetas Unidos. A jornada nunca acabará pois os sonhos são eternos.

Leave a Reply