Sorte que 10 linhas são apenas 10 linhas

O que une as pessoas? Algumas delas são unidas por laços familiares, outras resolvem se unir por entenderem que se completam e não podem viver umas sem as outras. Mas quando não tratamos deste tipo de união de homens e mulheres, quando falamos da união fraterna dos homens, isso somente é possível por causa de um ideal. E é isso que eu vejo em Jornada nas Estrelas e na Federação dos Planetas Unidos, aqui em Curitiba.
Vejo a união de pessoas acreditarem que a cooperação entre seres de várias raças, cores, credos e históricos de vida é uma forma válida para se superar as dificuldades da humanidade, permitindo a evolução do planeta como um todo.
Claro que isso, por si só, não supera a inigualável sensação de amizade e alegria que surge do convívio com pessoas que pensam como você, e que não se incomodam com a propagação do som no vácuo do espaço, e que desprezam o Princípio da Incerteza de Heizenberg, afinal de contas, esses assuntos podem acabar com uma boa conversa sobre Jornada nas Estrelas!
Fico feliz com os 15 anos de Federação dos Planetas Unidos em Curitiba, tanto pelo incansável trabalho de divulgação quanto pelos inúmeros vinculos e amizades que ajudou a criar e construir!
Francisco Gonçalves [Chico Trekk]
Ok. Então começou assim. Anos 80. Rede Bandeirantes (ainda não era Band). Uma tarde qualquer. De repente começou a passar uma série que prendeu minha atenção de maneira arrebatadora. E me fez procurar notícias sobre o que aconteceria depois e foi interessante notar que havia até material disponível (uma amiga de escola me provia de informações de revistas que o pai dela comprava. Como a humanidade pôde viver tanto tempo sem internet). Depois disso os 3 primeiros filmes para o cinema que acabei vendo na TV. E os demais que vi no cinema.
Então, no ano do Senhor de mil novecentos e noventa e quatro, acabei assistindo uma entrevista do pessoal da Frota no Jô Soares Onze e Meia ainda no SBT e vi que tinha gente mais “maluca” por Jornada que eu. E logo depois a Primeira Convenção em Curitiba. Não vou nem me detalhar no tamanho da minha felicidade. Imagine um chocólatra na Fábrica do Senhor Wonka. Esse era eu na convenção.
Nos anos que viriam vi a cisão da Federação, gente que, sinceramente, questiono se realmente gostava mesmo de Jornada tomando as rédeas da situação e também vi seu renascimento glorioso (uau!). Mas o que mais me emociona é a aceitação, a acolhida que, não só eu, mas todos os que apareceram depois receberam por conta dos membros mais antigos.
Acabei me afastando um pouco em conseqüência dos meus ensaios (ser ator dá trabalho, acreditem!). Mas é uma alegria imensa reencontrar cada um dos membros da Federação do Planetas Unidos, seja na rua, seja em eventos como a palestra do Carlos sobre os 40 anos de Star Trek no Estação. 40 anos…Puxa! Aliás, foi um dos momentos mais felizes dos últimos anos poder revê-los naquele dia.
Tenho certeza que, além de fãs, fazemos parte de uma Irmandade e que nossa amizade continuará até o século 23 e além.
Abraços a todos.
Marcos Neves
Foi um período interessante. Muitos bons momentos assistindo episódios trekkers com a turma na casa do Carlos Machado ou de algum outro colega, e fazendo algumas boas amizades ao longo do caminho, com o Carlos e com outros colegas do clube.
Lembro também de muitos bons momentos jogando Scotland Yard com alguns colegas do clube (principalmente o Chico, Maria Alice e Angela), tentando descobrir soluções para casos fictícios do grande conhecido detetive Sherlock Holmes.
O Clube Federação dos Planetas Unidos foi uma boa oportunidade de trocar idéias interessantes com uma turma legal, principalmente enquanto estive aí no Brasil. Guardarei sempre em minhas recordações.
Alex Freitas

Leave a Reply