Antes tarde…

Meu primeiro contato com a Federação foi através da Terezinha. Foi ela que me disse que tinha um pessoal promovendo uma apresentação pública ou encontro sobre o seriado Jornada nas Estrelas. Eu fui a apresentação na Secretaria da Cultura se não me engano. Confesso que o dito encontro não foi assim tão interessante, mesmo para quem vinha de uma escassez sobre o assunto de anos. É que o clima presente na reunião não era muito amistoso. Depois eu vim, a saber, que aquela foi à última reunião do grupo original da Federação antes do grande cisma.
Como a Terezinha tinha entrado em contato com o Carlos, algum tempo depois nós fomos a uma reunião informal na casa dele e do que tinha restado da Federação. E assim tudo começou para mim.
Quanto a algum momento pitoresco acho que tivemos muitos, principalmente vindo de um típico representante Klingon que no momento está sob disfarce. Um que provavelmente não foi registrado foi o encontro desta nobre raça alienígena com um representante circense terráqueo. Acho difícil vocês verem novamente um Klingon com um Palhaço no colo em plena Rua das Flores. [Ele se enganou, pois foi registrado sim. Veja fotos históricas, eheh]
Ká Plá
Fábio Baranovschi

Meu depoimento não é lá emocionante, mas serve para elucidar a dúvida de como cheguei à Federação. Era o ano de 1995. Em uma tarde de final de semana estava visitando a casa da minha mãe. Sempre fui fã de Jornada nas Estrelas e sabendo disso, minha irmã Ângela me disse que havia conhecido dois integrantes de um Fã-Clube de Jornada nas Estrelas em Curitiba, o Carlos Machado e o Roberson Nunes. Eles haviam feito uma visita para ela, não sei como chegaram lá, mas ela havia ficado bastante entusiasmada com as reuniões sobre os assuntos de ficção e ciência.
Além disso, ela também soube que nas reuniões era possível assistir episódios inéditos das séries, o que achei fantástico já que naquela época ainda não haviam sido lançados nem em VHS. Assim, combinamos de aparecer à próxima reunião e lá Angela apresentou a minha família ao pessoal, que muito simpáticos nos acolheram como amigos. De lá para cá, fiquei cada vez mais bem informado sobre o mundo de jornada, participando de convenções, lançamentos de filmes, enfim, foi fantástico!
Saudações.
Marco Aurélio Bunese
O Espaço, a fronteira final. Essas são as viagens da Nave estelar Curityba, com a missão de conquistar novos mundos, novas civilizações, audaciosamente indo, onde nenhum homem jamais esteve.
Frase já bem conhecida para os aficionados pela série de Televisão também da década de 80. Dois grandes amigos aqui de Curitiba, Carlos Machado e Túlio Paes Leme, tiveram a grande idéia de criar um clube de Jornada nas Estrelas. A notícia repercutiu aqui na capital paranaense o que deu muito certo. Muitos vieram mais tarde fazer parte do fã clube, Federação dos Planetas Unidos.
Caros amigos, obrigado pela amizade e espero que consigamos manter vida longa em nossos sonhos, sejam eles quais forem. Um forte abraço a todos e não vamos perder contato. Os nossos canais de comunicação devem estar sempre abertos.
Kelvin Byron

Leave a Reply